top of page

Para começar, é importante ressaltar que para poder utilizar este adicional, é necessário possuir suas versões anteriores, incluindo o “Pranayama: Kumbhaka”. Os traços búdicos da técnica de elevação continuam a se mostrar, porém, neste ponto a maestria do usuário é claramente superior ao que seria anteriormente, se tornando algo muito mais natural de se utilizar. Ainda segue o mesmo ritmo da sua antecessora, com a energia se guiando por todo o corpo do usuário em alta velocidade, bombardeando-a em direção ao sangue, órgãos, ossos e outros sólidos que lhe permeiam, sem deixar a energia vazar de seu interior realmente devido ao nível de maestria. Seus músculos ficam saltados, mas não tanto quanto antes, apesar de seus batimentos cardíacos estarem acelerados o suficiente para serem ouvidos normalmente por até 20m de distância de onde o usuário está, enquanto que os traços da técnica são similares ao que tinha anteriormente, sendo um “pump” em suas vejas, uma alteração nas escleras e íris de seus olhos, enquanto que uma aura sutil é liberada constantemente de seu corpo. De forma similar com a transformação anterior, como consequência da inaptidão do usuário, este só será capaz de utilizar de poderes relativos ao próprio corpo, ou seja, manifestações intracorporais, e não as extracorporais, como cineses, projeções energéticas, controles espirituais, controles espaço-temporais, etc. 

 

Nível 651-700: Nos níveis iniciais ela já concede um acréscimo de 2000 mach nas velocidades de combate, percepção, viagem e voo (caso possua) do usuário, enquanto que já concede um acréscimo de dois “+” na força e durabilidade física daquele que a utiliza. Entretanto, apesar das vantagens, inicialmente a técnica se sustenta por apenas duas rodadas contínuas, no máximo. 

 

Nível 701-750: Neste ponto a técnica passa a durar até três rodadas contínuas, no máximo. O acréscimo nas velocidades supracitadas é maior, sendo agora de 2700 mach.

 

  • Indriya Pratyahara: Com este nível do modo se ligando com a arte da “Indriya Pratyahara”, com o indivíduo obtendo uma imunidade contra controles sensoriais e de percepção.

 

Nível 751-800: Agora a técnica pode ser usada por até quatro rodadas contínuas, no máximo, sendo que o acréscimo de velocidades é ainda maior do que antes, sendo de 5400 mach. 

 

Nível 801-850: Com o nível maior de domínio dessa técnica, podem a utilizar por até cinco rodadas contínuas, com o acréscimo nas velocidades anteriormente citadas sendo de 8.100 mach. Neste ponto também confere um acréscimo de três “+” em força e durabilidade.

 

Nível 851-900: No pico, pode ser usada por até seis rodadas contínuas, concedendo um acréscimo de 1.5% SOL nas velocidades citadas anteriormente. 

 

  • Prana Pratyahara: Neste ponto acabam por obter ligação com a arte do “prana pratyahara”, que é nada mais que uma técnica de circulação de sua energia interna, onde apesar de serem incapazes de a utilizar para feitos ao menos intermediários, já lhes faz ter consciência de sua própria energia, a sentindo em um nível microscópico, possibilitando que saibam de algumas anormalidades em sua energia, assim como a movimentar por dentro de seu próprio corpo e lhes tornando imunes a controle de energia interna.

 

Obs: Para cada rodada contínua usando tal técnica, será necessário aguardar três rodadas em recarga, sendo incapaz de a utilizar antes do tempo de recarga ocasionado por seu último uso ter chegado ao fim.

Pranayama: Sahita

$26.000,00Preço
    bottom of page